Menu

Atletas pela Cidadania

 DSCN4357Fabiano de Paula e Tiago Fernandes

No primeiro dia da chave principal do São Paulo Challenger de Tênis, o público acompanhou uma das partidas mais esperadas do torneio, entre o campeão juvenil do Australian Open em 2010, Tiago Fernandes e Fabiano de Paula, tenista da comunidade da Rocinha.

Assim como Fabiano, milhares de jovens buscam uma carreira no esporte, mas nem sempre têm a oportunidade que precisam para desenvolver seus talentos. E quando falta incentivo público, projetos sociais podem realizar os sonhos de muita gente.

Pensando nisso, ex-atletas e campeões dos mais variados esportes como Raí, Giovane, Hortênsia, Mauro Silva, Ana Moser, Joaquim Cruz, Nelson Aerts, entre outros, se uniram para criar a ONG Atletas pela Cidadania.

A organização é uma iniciativa inédita no mundo, afinal reune atletas e ex-atletas de diferentes gerações e modalidades. O objetivo é desenvolver a cultura de um esporte mais acessível a todos, trazendo benefícios à saúde e à educação para milhões de brasileiros.

DSCN4350Mauro Silva, Hortência, Raí e Giovane

O Tennis Report bateu um papo com Raí, Hortênsia e Mauro Silva, alguns dos membros da ONG que prestigiaram o São Paulo Challenger de Tênis, no Clube Paineiras. Confira!

Quais as propostas da ONG pra inserir cada vez mais os jovens no esporte?

Raí - A Atletas defende um esporte para todos. Para que isso se torne realidade é preciso aumentar o acesso e a melhoria do esporte nas escolas, aumentar a atividade física no país e consolidar um sistema nacional de esporte.

Às vésperas de dois grandes eventos que serão sediados no Brasil, Copa do Mundo e Olimpíada, como você vê o atual cenário esportivo no país?

Mauro Silva - O Brasil vive um momento único no esporte. Os dois grandes eventos que o país sediará abrem espaço para pensar o que queremos pro esporte nacional. Não basta apenas construir estádios. Tanto a Copa quanto a Olimpíada têm que deixar um legado social e aproveitar os investimentos que serão realizados em nosso país.

O tênis também tem atraido investimentos no país, o número de torneios é cada vez maior, teremos o primeiro ATP 500 no Rio de Janeiro em fevereiro de 2014, mas ainda é um esporte muito carente por aqui, apesar de ser considerado “elitista”. O que falta pro tênis se popularizar ainda mais e chegar à população em geral?

Hortência - É preciso investir cada vez mais nas aulas de Educação Física e levar mais esporte para as escolas. Não tratar as modalidades esportivas apenas como uma atividade lúdica que complementa o ensino. A base pra toda criança é a escola, o início de um formação no esporte também acontece na escola. Então o principal investimento deve ser feito nas escolas.

Qual a sensação de ver Fabiano de Paula, morador da comunidade da Rocinha, chegar onde muitos gostariam de estar e disputar campeonatos como o São Paulo Challenger de Tênis?

Mauro Silva - Você viu que coisa maravilhosa? Um menino cheio de potencial, que pode mostrar seu talento porque teve essa oportunidade. Quantos jovens como ele não esperam por uma chance como essa? Eu mesmo vim de uma família humilde e devo tudo que tenho hoje ao esporte. Se não fosse o esporte, hoje eu não estaria aqui e não poderia dar a minha contribuição.

tiago fernandesTiago Fernandes (Foto: João Pires)

DSCN4362Fabiano de Paula

Confira a entrevista em vídeo:

voltar ao topo