Menu

Masters Tour: uma vez tenista, sempre tenista

 215286 380867 sarettamellosoaresbarbosachaconalbanoFlávio Saretta, Ricardo Mello, João Soares, Givaldo Barbosa, Fernando Chacon e Pablo Albano (Foto: Solange Macedo)

Idade, lesões, novas e desafiadoras áreas de atuação no próprio esporte. Seja qual for o motivo, a aposentadoria é algo já esperado na carreira de qualquer jogador, mas não significa necessariamente a despedida das quadras. Afinal, uma vez tenista, sempre tenista. Quem passou a vida nos mais diversos torneios pelo Brasil e pelo mundo, dividiu as quadras, o vestiário, as alegrias e as tristezas com outros jogadores e treinadores sabe o quanto é difícil ficar longe dessa segunda família.

Para os veteranos do esporte, uma chance de continuar fazendo o que mais amam. Para os recém-chegados, oportunidade de jogar com os ídolos do passado. Assim surgiu um circuito de tênis que reúne grandes nomes do esporte nacional: campeões brasileiros, finalistas de torneios ATP, representantes do país na Copa Davis, na Fed Cup, em Olimpíadas e nos Jogos Pan-Americanos.

O Masters Tour foi criado em 2003 pelos ex-tenistas Nelson Aerts, campeão dos Jogos Panamericanos de Havana por equipes, e Danilo Marcelino, que chegou a figurar entre os 100 melhores do mundo. A parceria com o Itaú, que também é patrocinador oficial de torneios Future, Challenger, do ATP 250 de Viña del Mar, do Rio Open e do Masters 1000 de Miami, surgiu há 3 anos.

“O Itaú Masters Tour é um resgate da história do tênis brasileiro masculino e feminino, com tenistas de diferentes gerações. É uma competição que valoriza esses ídolos e também uma ferramenta de relacionamento que integra patrocinadores, clientes e fãs do esporte”, afirma Nelson Aerts, que ao lado de Danilo Marcelino dirige a Try Sports, organizadora do evento.

215286 380868 img 3632Nelson Aerts apresenta o Itaú Masters Tour 2014 ao lado de Fernando Chacon, diretor de Marketing do banco (Foto: Solange Macedo)

A série conta com torneios em seis cidades do país: Curitiba, Ribeirão Preto, Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Angra dos Reis. Os jogadores são divididos entre duplas que se alternam a cada etapa e a pontuação é feita individualmente no ranking do circuito. Com exceção da última disputa, todas as etapas contam com clínicas de tênis, um torneio amador entre os sócios dos clubes-sedes e um PRO-AM entre profissionais e amadores convidados.

Givaldo Barbosa, número 32 do mundo em duplas e 82 em simples, participou de quase todas as doze edições do Masters Tour. Campeão em 2012, Gica, como é carinhosamente chamado, já foi treinador de Ricardo Mello, Flávio Saretta e Júlio Góes e agora quer jogar com eles para ter mais chances de chegar às rodadas finais novamente. “Quando perco na primeira rodada já sei que vou ficar encarregado das clínicas. Já promovi umas 30 ou 40. Então a minha meta é de ficar longe das clínicas nessa temporada! (rs)”.

Ricardo Mello anunciou a aposentadoria em 2013, mas não abandonou as quadras. Campeão do ATP de Delray Beach em 2004, número 1 do Brasil e 50 do mundo em 2005, Ricardinho se deu bem já na primeira participação no Masters Tour. “É uma chance de continuar jogando e competindo, mas num ritmo mais tranquilo. Está havendo uma renovação, com jogadores mais jovens chegando. Na minha estreia, os mais velhos disseram: assim não vale, tem um garoto jogando! Foi muito legal e fiquei muito feliz por já conquistar o título”.

11088 dsc 5057Ricardo Mello, campeão em 2013 (Foto: João Pires)

Com saudade da rivalidade com Flávio Saretta desde a época do juvenil, Ricardo deu um empurrãozinho e trouxe o amigo de tantos anos para a edição 2014 do torneio. Campeão de duplas com José Acasuso no ATP de Umag e de simples nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, ex-44º do ranking de simples da ATP e 78º do mundo em duplas, Saretta reforça o time de ídolos do Itaú Masters Tour e é a grande novidade da temporada.

Aos dez anos de idade, Saretta já sonhava em jogar tênis e até dormia na quadra. Em 1990, quando foi disputado o primeiro torneio profissional no clube que ele frequentava quando criança, ele desenhou o Boris Becker num papel sulfite e pegou autógrafos de todos que na época disputaram o torneio. Agora esses "ídolos" serão seus parceiros e adversários no Masters Tour: Gica, João, Neco, Dácio Campos. “Já joguei alguns torneios de veteranos em simples, mas agora jogar duplas com tantos nomes do esporte que foram referências pra mim vai ser emocionante. Aliás, dupla nunca foi minha especialidade, preciso treinar os voleios e acho que vou desenhar o Boris Becker de novo, quem sabe me ajuda (rs)!”.

Além de Flávio Saretta, Ricardo Mello, Alexandre Simoni, Adriano Ferreira, Prieto, Júlio Góes e João Soares, também disputam o Itaú Masters Tour os tenistas Cesar Kist, Fábio Silberberg, Fernando Roese, Givaldo Barbosa, Ivan Kley, Júlio Silva, Marcelo Saliola, Márcio Carlsson, Mauro Menezes, Pablo Albano, Ricardo Acioly, Roberto Jábali, Roger Guedes, Thomaz Koch e William Kyriakos. Entre as mulheres estão Ana Paula Zannoni, Andréa Meister, Andréa Vieira, Carla Tiene, Eugênia Maia, Joana Cortez, Patrícia Medrado, Roberta Burzagli, Sabrina Giusto, Sumara Passos, Vanessa Menga e Luciana Tella, campeã na categoria feminina em 2013.

luciana tellaLuciana Tella, campeã em 2013, ao lado de Dadá Vieira (Foto: João Pires)

Para Fernando Chacon, diretor executivo de Marketing do Itaú, o incentivo do setor privado é fundamental para o esporte brasileiro e o apoio ao Masters Tour ajuda a fortalecer ainda mais as relações da instituição com o tênis. “Temos uma plataforma completa na modalidade, que vai desde as categorias de base até o alto rendimento. O Masters Tour ultrapassa a competição pura e simples ao proporcionar a interação entre os atletas e o público por meio das clínicas e torneios amadores”.

A 12ª edição do Itaú Masters Tour é uma realização da Try Sports Empreendimentos Esportivos, com o patrocínio do Itaú e o apoio da Babolat. Mais informações: www.trysports.com.br  

voltar ao topo